• mudança Partidas nos Jogos Olímpicos serão disputadas sem tempos técnicos

    A Federação Internacional de Voleibol (FIVB) confirmou na última quinta-feira (21.06) que as 76 partidas de voleibol dos Jogos Olímpicos do Rio serão disputadas sem tempos técnicos. O objetivo da mudança é adequar a duração dos confrontos ao cronograma dos Jogos Olímpicos e garantir a melhor experiência possível para os fãs. Depois de consultar as equipes participantes em ambos os naipes para a competição de voleibol no Rio de Janeiro, a FIVB decidiu que os tempos técnicos não acontecerão nos Jogos Olímpicos do Rio. No entanto, os treinadores ainda têm a possibilidade de pedir dois tempos de 30 segundos em cada set. Atual bicampeã, a seleção feminina comandada pelo treinador José Roberto Guimarães estreará nos Jogos Olímpicos contra Camarões às 15h do dia 6 de agosto. Na sequência, o time verde e amarelo, cabeça de chave do Grupo A, duelará com Argentina, Japão, Coréia do Sul e Rússia. A seleção masculina terá como primeiro adversário na busca por uma medalha na competição mais importante do calendário esportivo o México, no dia 7 de agosto, às 11h35. Depois da estreia contra os mexicanos, a equipe dirigida pelo técnico Bernardinho enfrentará Canadá, Estados Unidos, Itália e França - todos integrantes do Grupo A. O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro Read More
    Seleções
  • Superliga CBV apresenta planejamento de transmissão e naming rights aos clubes

    Da redação no Rio de Janeiro (RJ) - 19.07.2016 A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) apresentou nesta terça-feira (19.07) o planejamento de marketing da Superliga 2016/2017 aos 24 clubes participantes. A entidade recebeu em sua sede, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, representantes das 12 equipes de cada naipe para anunciar projetos comerciais. Entre as principais novidades estão a negociações pelos naming rights do torneio e a ideia de elevar o número de transmissões. O encontro também serviu para que os clubes tirassem dúvidas a respeito da exposição de marcas nos jogos. A CBV segue custeando passagem, hospedagem, alimentação, taxas de arbitragem, além de oferecer propriedades publicitárias aos clubes participantes da Superliga. Durante a reunião também foi apresentado o planejamento de transmissão da Superliga, permitindo que clubes exponham a marca de seus patrocinadores. A CBV negocia para elevar números dos jogos, tanto ao vivo quanto em VT. Outra novidade foi a apresentação da empresa CSM, que realiza uma pesquisa com clubes, atletas e profissionais do voleibol para realização de um plano estratégico para os próximos quatro anos. No mês passado a entidade lançou o programa ‘Eu Sou do Vôlei’, que visa fidelizar e conhecer as preferências dos fãs do esporte, oferecendo conteúdo exclusivo e promoções. A lista completa da Superliga masculina 2015/2016 conta com: Sada Cruzeiro (MG), Vôlei Brasil Kirin (SP), Funvic Taubaté (SP), Sesi-SP, Minas Tênis Clube (MG), Bento Vôlei/Isabela (RS), Montes Claros Vôlei (MG), Lebes/Gedore/Canoas (RS), Caramuru/Castro (PR), JF Vôlei (MG), Maringá (PR) e São Bernardo Vôlei (SP). Na Superliga feminina 2016/2017 estarão Rexona-SESC (RJ), Dentil/Praia Clube (MG), Camponesa/Minas (MG), Vôlei/Nestlé (SP), Sesi-SP, Rio do Sul/Equibrasil (SC), Pinheiros/Klar (SP), Terracap/Brasília Vôlei (DF), São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP), Concilig Vôlei Bauru (SP), Araraquara (SP) e Fluminense (RJ). O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro Read More
    Institucional
  • para os jornalistas Seleção feminina recebe a imprensa nesta quinta-feira

    Em preparação final para os Jogos Olímpicos, a seleção brasileira feminina de vôlei receberá a imprensa nesta quinta-feira (21.07), no Centro de Desenvolvimento de Voleibol, em Saquarema (RJ). Os jornalistas terão acesso aos treinamentos a partir das 10h e farão as entrevistas após os trabalhos. Os jornalistas interessados na cobertura precisam confirmar presença através do e-mail [email protected] até às 18h desta quarta-feira (20.07). A confirmação é necessária para a entrada no centro. O assessor de imprensa Vicente Condorelli (21 - 99450-4650) estará em Saquarema para ajudar no trabalho. O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro Read More
    Seleções
  • Em Jaguariúna Seleção feminina Sub-23 vence Camarões em três sets

    A seleção feminina Sub-23 do Brasil conquistou mais uma vitória sobre a equipe olímpica de Camarões. Na segunda partida amistosa realizada entre as duas equipes, o time brasileiro conseguiu mais um triunfo em três sets seguidos (25/18, 25/22 e 25/21), em 1h30 de partida no Ginásio Azulão, em Jaguariúna (SP), neste domingo (17.07). As meninas do Brasil encontraram dificuldades no início da primeira parcial e em metade da segunda. O saque e o bloqueio fizeram diferença em favor das donas da casa. A central Mayany foi o destaque da disputa e terminou como maior pontuadora ao marcar 13 vezes. A capitã Drussyla valorizou o resultado e a experiência de jogar contra uma equipe que estará na Rio2016. “Foi importante para a nossa preparação e para ganhar ritmo de jogo. Nossa vontade de vencer foi maior que a do nosso adversário. As camaronesas são mais velhas e impuseram dificuldades para o nosso time, o que foi muito bom, pois iremos jogar no Peru sob pressão da torcida. Este foi um grande teste para a gente”, disse Drussyla. O técnico Wagão ficou animado com os dois resultados positivos. Para o treinador o maior mérito do time foi colocar em prática o que foi trabalhado nos treinamentos e a postura das jogadoras em quadra nos momentos adversos. “Conseguimos usar mais jogadoras na partida de hoje, o resultado era importante para nós. Temos que definir o grupo para o Sul-Americano ainda esta semana, então foi bom para a última avaliação. Nosso volume de jogo está aparecendo, e as meninas demonstram tranquilidade nos momentos difíceis, e precisaremos disso lá em Lima”, contou o treinador da equipe brasileira. As duas partidas realizadas em Jaguariúna serviram de preparação para a equipe brasileira que disputará o Sul-Americano Sub-23 entre os dias 26 e 31 de julho, em Lima (PER). O jogo Os dois times começaram com bom volume defensivo. A recepção camaronesa conseguiu se equilibrar, e, com o passe na mão, a levantadora Samantha Essisima acionava com eficiência a bola na china. As africanas chegaram na frente no primeiro tempo técnico, 7/8. A equipe de Camarões chegou a abrir três pontos (7/10), mas as brasileiras recuperaram o ritmo, e com o bloqueio funcionando chegaram a 16/12 na segunda parada. As donas da casa mantiveram o domínio na sequência do set e contaram com o excesso de erros das adversárias para vencerem o primeiro set em 25/18. As camaronesas voltaram para o segundo set com uma formação diferente e as modificações fizeram efeito. Com um passe mais consistente e a defesa mais ativa, as africanas abriram 5/8. As brasileiras sentiram dificuldades na virada de bola e permitiram que o time de Camarões aumentasse a distância no placar com os contra-ataques, 9/16. O técnico do Brasil, Wagão, colocou Lana e Gabriela no lugar de Natália e Maira. Com as mudanças o time brasileiro melhorou o passe e virou o placar, contando com erros adversários. No final do set, vitória brasileira por 25/22. O time do Brasil voltou para o terceiro set com a mesma formação que terminou o anterior. O passe camaronês não encaixou e permitiu que as anfitriãs abrissem 10/5. As brasileiras, com um bom sistema de bloqueio, conseguiram manter a vantagem na segunda parada da parcial, 16/13. Depois do tempo técnico, as camaronesas impuseram um ritmo mais forte e conseguiram encostar no marcador, forçando Wagão a parar o jogo, 21/20. As brasileiras conseguiram dominar o ímpeto adversário e fecharam o set em 25/21 e o jogo em 3x0. Seleção Sub-23 feminina do Brasil Natália Silva, Lyara, Drussyla (C), Maira, Mayany, Lays Freitas e a líbero Laís. Entraram: Gabriela Candido, Bruna Costa e Lana Conceição. Técnico: Wagão. AMISTOSOS BRASIL SUB-23 X CAMARÕES 16.07 (SÁBADO) BRASIL 3x0 Camarões (25/17, 27/25 e 25/20) LOCAL/HORÁRIO: Ginásio Azulão, em Jaguariúna (SP), às 18h 17.07 (DOMINGO) BRASIL 3x0 Camarões (25/18, 25/22 e 25/21) LOCAL/HORÁRIO: Ginásio Azulão, em Jaguariúna (SP), às 16h Read More
    Seleções
  • Na Polônia Brasil é superado pela Sérvia e fica com a prata

    A boa campanha durante toda a fase classificatória e também na Fase Final da Liga Mundial é um sinal de que a seleção brasileira masculina de vôlei está no caminho certo para chegar bem nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, considerado o principal compromisso do ano. Neste domingo (17.07), porém, a equipe não conseguiu manter o bom retrospecto de apenas uma derrota em 12 jogos e acabou superada pela Sérvia, na Tauron Arena, em Cracóvia, na Polônia, por 3 sets a 0 (22/25, 22/25 e 21/25), em 1h25 de partida. Na primeira fase, o Brasil venceu o Irã, a Argentina e os Estados Unidos em casa; perdeu para a Sérvia e derrotou novamente os iranianos e a Bulgária, em Belgrado, na Sérvia; e venceu Polônia, Bélgica e França, em Nancy, na França, encerrando a fase classificatória na primeira posição. Na Fase Final, já em Cracóvia, bateu Itália e Estados Unidos na etapa de grupos, e a França na semifinal. O time vice-campeão contou com o bom desempenho de todo o grupo ao longo da competição. Após a decisão, dois brasileiros estiveram entre os melhores da Liga Mundial. Wallace foi eleito o melhor oposto e Maurício Souza, o melhor central. Wallace ainda foi o maior pontuador da final, com 18 acertos. Após a partida, o capitão Bruninho lamentou o resultado, mas, acima de tudo, a atuação da equipe brasileira. “Cometemos mais erros do que o normal e sofremos uma pressão enorme desde o início, principalmente no saque. Nós fomos cometendo muito erros e isso foi minando a confiança do nosso time. Eles defenderam muito bem e colocaram uma energia muito grande em quadra. Com isso, cresceram e ganharam muita confiança”, opinou Bruninho. O levantador do Brasil ainda falou sobre a importância de já pensar no próximo passo. “É decepcionante, mas não tempos nem muito tempo para ficar assim. Já tempos que virar a chave para o que vem pela frente, uma edição de Jogos Olímpicos na nossa casa, e continuar”, complementou Bruninho. O ponteiro Lucarelli, um dos destaques da seleção brasileira durante toda a Liga Mundial, também comentou sobre o número de erros nesta noite – a equipe brasileira teve o total de 24 erros, contra 11 do adversário. “Eles jogaram muito bem, mas nós tempos demérito nessa partida. Podíamos ter feito um jogo melhor e o número de erros que cometemos foi excessivo. Isso colocou eles na partida. Parabéns para o time da Sérvia e agora tempos que colocar a cabeça no lugar porque temos um campeonato muito importante daqui a pouco”, disse Lucarelli, se referindo aos Jogos Olímpicos. O técnico da seleção brasileira falou sobre o jogo. “Não vai ser fácil o nosso caminho. Depois de uma final como essa, uma série de coisas virão. O lado positivo é que foi agora. Temos que aprender com isso, seguir em frente, nos fortalecer. Sabemos que vamos sofrer para conquistar o que queremos e essa é uma lição que tempos que aprender. A partida de hoje foi dura, difícil e as coisas não aconteceram da forma como gostaríamos”, disse Bernardinho. Estiveram com a seleção nesta Fase Final da Liga Mundial os levantadores Bruninho e William; os opostos Wallace e Evandro; os centrais Maurício Souza, Lucão, Éder e Isac; os ponteiros Murilo, Lipe, Maurício Borges, Lucarelli e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle. O JOGO A Sérvia abriu o placar do jogo. Wallace foi o primeiro a pontuar para o Brasil. Os sérvios fizeram 4/2. Com dois bloqueios seguidos de Maurício Souza, a seleção brasileira assumiu o comando do marcador em 6/5. A Sérvia voltou a pontuar e fez 8/6. Os brasileiros buscaram e empataram em 10/10. O set esteve novamente igual em 13/13, mas, contando com erros do Brasil, a Sérvia abriu cinco em 18/13. Bernardinho pediu tempo. O adversário se manteve na frente em 20/15. Com Wallace no ataque e Lucarelli no ace, o Brasil diminuiu a diferença para 20/17. Lucarelli em um belo ponto de contra-ataque aproximou a seleção brasileira no placar 22/20, mas a Sérvia voltou a pontuar e fez 24/20. Maurício Borges pontuou duas vezes e o set foi para 24/22. No final, melhor para a Sérvia, que fechou em 25/22. Os sérvios abriram 2/0 no começo do segundo set. O time brasileiro empatou em 3/3. O adversário abriu dois de diferença em 6/4 e três em 8/5. A vantagem sérvia foi a 11/7. Wallace pontuou bem e fez 11/9. No bloqueio de Wallace, o Brasil empatou em 12/12. A parcial seguiu equilibrada até a seleção da Sérvia abrir dois (16/14) e logo depois, quatro: 18/14. Neste momento, Bernardinho pediu tempo. No erro do Brasil, a Sérvia fez 20/15. Com dois bons saques de Bruno, a seleção brasileira fez 20/18 e o adversário parou o jogo. No bloqueio de Lipe, o Brasil encostou (21/20), mas a Sérvia fechou em 25/22. Assim como no set anterior, a Sérvia abriu 2/0. No bloqueio de Éder, o Brasil deixou tudo igual: 3/3. Os sérvios voltaram a abrir vantagem em 6/3 e Bernardinho pediu tempo. Em boa passagem de Bruninho pelo saque, o time brasileiro encostou em 7/6. No bloqueio de Lipe, o empate em 8/8. No ace do adversário, o placar ficou favorável em dois pontos para a Sérvia: 11/09. A diferença passou a cinco em 16/11. No ace de Éder, o Brasil reduziu a desvantagem para 16/13. Com ponto de bloqueio, os sérvios chegaram a 20/15 e depois a 22/17. Wallace marcou no saque (22/19) e a Sérvia pediu tempo. Os sérvios fecharam em 25/21. EQUIPE BRASIL – Bruno, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Maurício Borges e Lucarelli. Libero: Tiago BrendleEntraram – Evandro, William, Lipe, ÉderTécnico: Bernardinho SERVIA – Kovacevic, Ivovic, Jovovic, Luburic, Podrascanin e Lisinac. Libero: MajstorovicEntraram – NikicTécnico: Nikola Grbic Melhores do campeonato: MVP - Marko Ivovic (Sérvia)Melhor ponteiro - Marko Ivovic (Sérvia)Melhor ponteiro - Antonin Rouzier (França)Melhor central - Mauricio Souza (Brasil)Melhor central - Srecko Lisinac (Sérvia)Melhor líbero - Jenia Grebennikov (França)Melhor levantador - Simona Giannelli (Itália)Melhor oposto - Wallace (Brasil) Jogos do Brasil na Liga Mundial Rio de Janeiro (Brasil) 16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22) Belgrado (Sérvia) 23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12) Nancy (França) 01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11) 03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21) FASE FINAL Cracóvia (Polônia) 13.07 (quarta-feira) – Brasil 3 x 0 Itália (25/18, 25/20 e 25/19)15.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 2 Estados Unidos (24/26, 21/25, 28/26, 25/21 e 15/12)16.07 (sábado) – Semifinal – Brasil 3 x 1 França (25/16, 23/25, 28/26 e 33/21)17.07 (domingo) – Final – Brasil 0 x 3 Sérvia (22/25, 22/25 e 21/25) O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro Read More
    Liga Mundial
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Vôlei na TV

Grandprix

Liga Mundial

Vôlei Praia

Vôlei Quadra