PARABÉNS À SELEÇÃO MASCULINA E A ALISON/BRUNO PELO BRILHANTE OURO E A ÁGATHA/BÁRBARA PELA PRATA
  • contra mexicanos Pedro Solberg e Evandro avançam às quartas de final em Long Beach

    No Rio de Janeiro (RJ) - 26.08.2016 Pedro Solberg e Evandro (RJ) estão nas quartas de final do Grand Slam de Long Beach, na costa oeste dos Estados Unidos. A dupla carioca, nona colocada nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, superou os compatriotas Álvaro Filho/Vitor Felipe (PB) nesta sexta-feira (26.08). Agora encaram os mexicanos Virgen e Ontiveros, campeões dos Jogos Pan-Americanos de Toronto de 2015, por um lugar na semi. A parceria comandada pelos técnicos Renato França e Ednilson Costa venceu nas oitavas de final os paraibanos Álvaro Filho e Vitor Felipe por 2 sets a 0 (21/17, 21/17), em 41 minutos de duração. Antes, Alvinho e Vitor haviam passado pelos poloneses Kadziola/Szalankiewicz na repescagem, por 2 sets a 0 (21/14, 21/17). Na próxima fase, eles encaram os mexicanos Virgen e Ontiveros por um lugar na semifinal. Os brasileiros já enfrentaram os campeões dos Jogos Pan-Americanos de Toronto em três oportunidades, levando a melhor nas duas últimas. Enquanto Pedro Solberg e Evandro estão invictos com quatro vitórias, a parceria mexicana sofreu uma derrota na fase de grupos. Os cariocas buscam o segundo ouro na temporada 2016 do Circuito Mundial. Guto e André Stein caíram na repescagem ao serem derrotados pelos canadenses Grant O'Gorman e Sam Pedlow por 2 sets a 0 (21/18, 21/19), em 37 minutos de jogo. O Brasil é o atual campeão do torneio masculino do Grand Slam de Long Beach, com Alison e Bruno Schmidt, campeões olímpicos, que não viajaram para disputar a etapa. A vitória em um Grand Slam rende 800 pontos ao time campeão, além de uma premiação de 57 mil dólares. Long Beach é o segundo torneio da temporada 2016 do Circuito Mundial disputado nos Estados Unidos. O país também recebeu o Open de Cincinnati, em maio. Até hoje, 15 etapas do Circuito Mundial (nos dois naipes) foram disputadas nos Estados Unidos. O Brasil soma 21 medalhas no feminino e 15 entre os homens. O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro Read More
    Circuito Mundial
  • Sul-Americano Sub-18 Invictas, brasileiras avançam em primeiro no grupo A

    A seleção brasileira feminina Sub-18 manteve a invencibilidade no XX Sul-Americano da categoria que acontece em Lima (PER). Nesta sexta-feira (26.08), pela terceira rodada do grupo A, as meninas do Brasil levaram a melhor sobre a Colômbia por 3 sets a 1 (25/15, 21/25 25/22 e 25/18), em 1h56 de jogo no ginásio Manuel Bonilla. O resultado garantiu o time verde e amarelo na primeira colocação do grupo A. O equilíbrio entre os dois times foi tanto que três atletas empataram como maiores pontuadoras do confronto com 16 acertos: a ponteira colombiana Karina Olaya e as brasileiras Daniela Seibt, que é central, e a oposta Mayara Silva. Na visão do treinador do time brasileiro, Maurício Thomas, o saque e o ataque foram os trunfos colombianos. Ele também elogiou o nível da competição. “A equipe colombiana tem um ataque forte e uma boa levantadora. Jogaram muito bem contra o Brasil, com saque que dificultou o nosso passe. O campeonato está com um nível bem alto para a categoria. Peru e Argentina estão treinando há bastante tempo e seja quem for o nosso adversário na semifinal, será um jogo difícil”, comentou Maurício Thomas. O próximo compromisso da equipe verde e amarela será neste sábado (27.08), às 17h45, contra o segundo colocado do grupo B, que será o time perdedor do confronto entre Peru e Argentina. O site da Confederação Sul-Americana de Voleibol (CSV), transmite ao vivo pelo link www.voleysur.org . SUL-AMERICANO SUB-18 FEMININO PRIMEIRA FASE 24.08 (QUARTA-FEIRA) – BRASIL 3x0 Bolívia (25/9, 25/12 e 25/12) 25.08 (QUINTA-FEIRA) – BRASIL 3x0 Chile (25/12, 25/14 e 25/9) 26.08 (SEXTA-FEIRA) – BRASIL x Colômbia (25/15, 21/25, 25/22 e 25/18) SEMIFINAL 27.08 (SÁBADO) – BRASIL x 2º grupo B, às 17h45 O Banco do Brasil e o patrocinador oficial do voleibol brasileiro Read More
    Seleções
  • Amistosos Brasil é superado pela Argentina na segunda partida da série

    Na segunda partida de série de três amistosos contra a Argentina, a seleção masculina Sub-19 do Brasil foi superada pelos visitantes no duelo que teve cinco sets (22/25, 22/25, 25/20, 25/20 e 16/18), em 2h17, no ginásio do Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ). As partidas servem de preparação para o Sul-Americano da categoria que acontece no final de setembro, em Lima (PER). Encerrando a série de confrontos, o terceiro e último jogo será no Sábado (27.08), às 16h. O Sul-Americano masculino Sub-19 classificará o campeão ao mundial da categoria no Bahrein em 2017. Além das duas equipes que se enfrentam nesta semana, o CDV ainda abriga as atividades das seleções Sub-20 feminina e Sub-21 masculinas do Brasil que também se preparam paras os Sul-Americanos respectivos. DESAFIO INTERNACIONAL SUB-19 BRASIL X ARGENTINA 25.08 (QUINTA-FEIRA) – Brasil 3x2 Argentina (25/23, 18/25, 24/26, 25/20 e 15/11) 26.08 (SEXTA-FEIRA) – Brasil 2x3 Argentina (22/25, 22/25, 25/20, 25/20 e 16/18) 27.08 (SÁBADO) -  Brasil x Argentina, 16h O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro Read More
    Seleções
  • No Maracanã Noite histórica no estádio é marco no voleibol brasileiro

    Uma noite de chuva marcou a história do esporte brasileiro no dia 26 de julho de 1983. Há 33 anos, 95.887 pessoas lotaram o estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, para acompanhar um jogo amistoso entre a seleção brasileira masculina de vôlei e a União Soviética, então campeã olímpica e mundial. O duelo vencido pelos brasileiros por 3 sets a 1 (14/16, 16/14, 15/7 e 15/10) entrou para o Guinness Book, livro dos recordes, ao reunir o maior público em um duelo de esportes olímpicos a céu aberto. A partida teve a atmosfera de confraternização e, no intervalo entre os sets, soviéticos e brasileiros ajudaram a organização a secar a quadra que foi castigada por uma forte chuva que caiu na cidade carioca. Um dos destaques do Brasil, o vice-campeão olímpico Renan Dal Zotto relembra com carinho do momento marcante na sua carreira. “Foi uma experiência única ter disputado uma partida de vôlei em um estádio de futebol lotado com mais de 95 mil pessoas. A atmosfera era contagiante e esse jogo ajudou muito no crescimento do voleibol. Temos poucas imagens, mas foi um duelo que ficou para a história. Lembro que no intervalo os soviéticos ajudaram a secar a quadra e acabamos vencendo o jogo. Posso dizer que foi um dos momentos mais emocionantes da minha vida”, disse Renan. Para Renan, que atualmente é o diretor de Seleções da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), os brasileiros poderão viver uma emoção parecida na próxima semana. A seleção brasileira masculina de vôlei, que no último domingo (21.08) se sagrou campeã olímpica no Rio, disputará o Desafio de Ouro contra Portugal, nos dias 3 e 4 de setembro, respectivamente, em Curitiba (PR) e Brasília (DF). A partida na cidade paranaense será realizada no Estádio do Atlético Paranaense, às 16h, e o jogo na capital federal acontecerá no estádio Mané Garrincha, em horário a definir. “Será uma oportunidade incrível para os torcedores assistirem à seleção brasileira masculina de vôlei completa com todos os integrantes da conquista do ouro olímpico, sem contar que serão os últimos jogos do Serginho com a camisa da seleção brasileira”, lembrou Renan. Lembranças de William e Montanaro O ex-levantador William, que era o capitão da seleção brasileira na época, também recorda com carinho do momento vivido pelos brasileiros no Maracanã. “Lembro da entrada da equipe na quadra. Foi incrível quando fomos anunciados e entramos no Maracanã lotado para enfrentar a melhor equipe da época, que era a União Soviética. O estádio estava lotado e a sensação foi única. Outra recordação foi a nossa chegada para o jogo. No entorno do Maracanã parecia que aconteceria um clássico do futebol. Mesmo com chuva, o público lotou o Maracanã e ficou para assistir à partida até o final”, recordou William. Outro nome marcante daquela equipe, o ex-jogador Montanaro, lembrou das dificuldades que apareceram antes do jogo no Maracanã. “Quando surgiu a ideia do jogo no Maracanã poucas pessoas acreditaram que seria possível fazer um jogo de vôlei a céu aberto. Tinha a possibilidade de chuva, o fato de lotar o Maracanã e uma série de dificuldades. No entanto, o jogo aconteceu e foi um dos momentos mais marcantes na história do vôlei brasileiro. Foi um jogo duro entre duas grandes equipes e diante de 95 mil pessoas. Tenho muito orgulho daquela partida e do que vivemos naquele dia”, ressaltou Montanaro. Tricampeões olímpicos O Brasil se tornou tricampeão olímpico no último domingo (21.08) ao bater a Itália na grande final por 3 sets a 0 (25/22, 28/26 e 26/24), em 1h37 de jogo, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. As três primeiras medalhas de ouro haviam sido conquistadas em Barcelona 1992, sob o comando de José Roberto Guimarães, e em Atenas 2004, já com Bernardinho. Além disso, o Brasil conquistou a prata olímpica em Los Angeles 1984, Pequim 2008 e Londres 2012. DESAFIO DE OURO 03/09 – Brasil x Portugal, na Arena da Baixada, em Curitiba (PR), às 16h 04/09 – Brasil x Portugal, no estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), em horário a definir O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro Read More
    Seleções
  • na disputa Pedro/Evandro invictos e mais duas duplas brasileiras avançam em Long Beach

    No Rio de Janeiro (RJ) – 26.08.2016 O Brasil terá três duplas na briga por medalhas no torneio masculino do Grand Slam de Long Beach, nos EUA. Pedro Solberg/Evandro (RJ) venceram mais duas vezes na tarde e noite desta quinta-feira (25.08), madrugada de sexta-feira (26.08) no Brasil, e foram direto às oitavas. Já Guto/André Stein (RJ/ES) e Álvaro Filho/Vitor Felipe (PB) passaram em segundo em suas chaves e disputarão a repescagem em busca de vaga às oitavas. Pedro e Evandro, que ficaram em nono lugar nos Jogos do Rio-2016, venceram duas vezes nesta quinta. Primeiro superaram os norte-americanos Trevor e Taylor Crabb por 2 sets a 0 (21/17, 21/17), em 34 minutos. Horas depois, derrotaram os canadenses Binstock e Schachter por 2 sets a 0 (21/15, 21/18), em 36 minutos. A primeira posição no grupo C leva o time direto às oitavas. Eles irão enfrentar os vencedores do duelo entre os brasileiros Alvinho/Vitor Felipe contra os poloneses Kadziola/Szalankiewicz, partida válida pela repescagem. Guto e André Stein, que disputam o primeiro torneio juntos, começaram o dia com o pé direito, superando os australianos Court e Schumann por 2 sets a 0 (21/11, 21/13), em 29 minutos. Horas mais tarde, acabaram vencidos pelos poloneses Fijalek e Prudel por 2 sets a 0 (21/16, 21/19), em 37 minutos, terminando em segundo na chave G. Na repescagem, o carioca Guto e seu parceiro capixaba André Stein jogam contra os canadenses Pedlow/O'Gorman por uma vaga nas oitavas de final. Em caso de vitória, encaram os mexicanos Virgen/Ontiveros, campeões Pan-Americanos de Toronto, em 2015. Alvinho e Vitor Felipe também tiveram um triunfo e um tropeço. Primeiro superaram os suíços Kissling e Krattiger por 2 sets a 0 (21/17, 21/15), em 32 minutos. Na sequência, acabaram derrotados pelos espanhóis Herrera e Gavira, que estiveram no Rio e foram eliminados nas oitavas por Alison e Bruno Schmidt. Triunfo dos europeus por 2 sets a 1 (18/21, 21/16, 19/17), em 56 minutos de partida. Se passarem pela repescagem, terão Pedro e Evandro, seus respectivos ex-parceiros, pela frente. Thiago e George, que haviam começado a disputa com vitória na quarta, tiveram duas derrotas nesta quinta e estão fora do torneio. Eles foram superados pelos russos Stoyanovskiy/Yarzutkin e pelos italianos Ranghieri/Caminati, dando adeus ao campeonato por terem ficado na quarta colocação do grupo D. A vitória em um Grand Slam rende 800 pontos ao time campeão, além de uma premiação de 57 mil dólares. Long Beach é o segundo torneio da temporada 2016 do Circuito Mundial disputado nos Estados Unidos. O país também recebeu o Open de Cincinnati, em maio. Até hoje, 15 etapas do Circuito Mundial (nos dois naipes) foram disputadas nos Estados Unidos. O Brasil soma 21 medalhas no feminino e 15 entre os homens. O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro Read More
    Circuito Mundial
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Vôlei na TV

Rio 2016 Praia

Rio 2016 Quadra

Vôlei Praia

Vôlei Quadra